Para engajar colaboradores, empresas precisam investir em reconhecimento

Investir no reconhecimento dos funcionários é garantia de retorno. Quem avisa é Luciana Aoki, gerente de produto da Sodexo Benefício e Incentivos, lembrando da pesquisa que a companhia fez em parceria com o Ibope Conecta com 500 empresas e 1000 usuários. O estudo concluiu que 96% das pessoas que recebem algum tipo de reconhecimento ou participam de campanhas de incentivo são mais motivadas e comprometidas com a entrega de resultados. “É uminvestimento que reforça o vínculo entre colaborador e empresa, além de trazer resultados não apenas motivacionais, mas também em produtividade”, diz.

Segundo Luciana, a falta de ações nesta área é que costuma custar caro para as organizações. “A ausência de reconhecimento pode ser motivo de desmotivação dos colaboradores”, conta. Pesquisa sobre saúde organizacional realizada globalmente pela McKinsey em 2017 confirma a visão da especialista. Segundo o estudo, a falta de desafios interessantes ou de uma curva de aprendizado dentro da organização também afetam negativamente o engajamento das pessoas.

A pesquisa indicou que investir em reconhecimento é uma ferramenta para melhorar a saúde das organizações – algo que inclui também a oferta de condições básicas de bem-estar, oportunidades de carreira e recompensas financeiras ou não. Segundo a consultoria, empresas que trabalham bem estes pontos geram, em média, retorno financeiro três vezes maior aos acionistas.

COMO RECONHECER?

“Reconhecimento é mais do que dinheiro”, reforça Luciana. Ela diz que são ações capazes de demonstrar que o esforço do colaborador é notado e valorizado. Este olhar precisa estar presente na dinâmica entre os funcionários e seus gestores, com ferramentas consistentes, aponta a executiva. Segundo Luciana, investir no reconhecimento é fortalecer o vínculo emocional entre as pessoas e as empresas.

Ela esclarece que, ao contrário das premiações por performance ou atreladas ao atingimento de uma meta clara e específica, o reconhecimento pode acontecer por meio de ações que estão no orçamento da organização, como a oferta de presentes em datas especiais, como Natal ou em comemoração quando o funcionário completa determinado tempo de casa.

Luciana enumera exemplos palpáveis que vão além do “parabéns” dos colegas e gestores. A Sodexo oferece cartões-presente para os próprios colaboradores e também como um produto para as empresas clientes. “Aqui reconhecemos o colaborador em diversas situações, como, por exemplo, quando uma funcionária vai ser mãe e ganha um cartão-presente para investir no enxoval. Ou quando alguém completa determinado tempo de casa, em reconhecimento pela contribuição ao longo dos anos”, conta.

A empresa também oferece a solução para datas comemorativas, como Dia dos Pais, Dia das Crianças ou Natal. “No lugar de darmos uma cesta ou uma lembrança específica, garantimos a liberdade para as pessoas comprarem os itens que mais gostam para a ceia, respeitando suas preferências e restrições alimentares, no caso do produto específico para presente de Natal.” E complementa:

“Oferecer um cartão-presente aos colaboradores é algo simbólico, uma forma de tangibilizar o reconhecimento e a valorização do trabalho dele”

Por saber do efeito positivo que ações do gênero têm internamente na Sodexo, Luciana encara com entusiasmo o aumento da demanda pelos cartões presente, tanto de premiação, quanto de reconhecimento. “As vendas destes produtos cresceram 17% este ano e devem continuar a avançar”, conta. E complementa: “Reconhecer o colaborador aumenta o senso de pertencimento e impacta diretamente na motivação.” Sentir que o próprio trabalho é valorizado motiva qualquer funcionário a ir mais longe.

More To Explore